Município de Alijó


Revidouro mostra “potencial para desenvolver o concelho”

Mini_0

“Só é pena não haver mais iniciativas destas!”, o comentário, feito em jeito de balanço, partiu de Luís Barros, representante da Avessada - Enoteca Interactiva, um dos vários participantes da Revidouro 2009. Para o empresário, a realização do certame é uma boa estratégia para promover o concelho no exterior, tanto “pela agitação que a feira cria, como pela comunicação social que atrai ao local”. Satisfeito com os conhecimentos travados durante o certame e o estabelecimento de relações com os parceiros, Luís Barros acredita que a Revidouro pode ser encarada com uma excelente oportunidade para mostrar o potencial de desenvolvimento de Alijó e para despertar o interesse dos turistas e visitantes pelo Douro. “Esta não é uma feira de venda directa, mas de promoção e divulgação dos nossos produtos, o que é importante”, afirmou o representante da Avessada. A mesma opinião é partilhada por Duarte Fernandes. “Esta feira foi importante para mantermos contactos com profissionais e com o próprio consumidor, isto para além dos convívios de amizade que proporcionou”, comentou o Gestor de Vendas e Marketing da Croft, para logo acrescentar: “com certeza que vamos estar cá no próximo certame”. Presente pela primeira vez na Revidouro, o representante da Romarigos Vinhos considerou este certame uma “oportunidade interessante” para divulgar os seus produtos, pois, explicou, “apareceu muita gente curiosa na feira”. Na opinião do mesmo responsável, uma vez que o certame está a ganhar dimensão e projecção, a organização deveria pensar em programar um dia dedicado a profissionais, com pessoas ligadas aos sectores de exportação, de distribuição. “O balanço já é positivo, mas a feira pode evoluir nesse sentido”, afirmou. Mercado será renovado para acolher o certame Segundo o presidente da Câmara Municipal de Alijó, Artur Cascarejo, esta será a última Revidouro a decorrer no Mercado Municipal conforme o espaço está actualmente. O autarca avançou que aquela estrutura será alvo de um projecto de requalificação urbana que visa a transformação do Mercado “num verdadeiro centro comercial ao ar livre, mais moderno, mais adequado às exigências contemporâneas”. “O nosso objectivo é reabilitar, requalificar e modernizar para aumentar o valor dos produtos que possam aqui ser transaccionados”, explicou Artur Cascarejo. Apesar de reconhecer que esta feira já está consolidada e que já entrou numa nova fase da sua afirmação nacional e internacional, o autarca quer ir mais longe e “continuar a dar passos certos e seguros”, no sentido de conseguir uma Revidouro com “mais valor, profissionalismo e dimensão internacional”.

Nesta quarta edição da Revidouro, para além da presença das comitivas de Saurimo (Angola), Ossining (E.U.A), Lamarque (França) e Carballiño (Espanha), Alijó recebeu uma comitiva de Itália, prevendo, assim, o estabelecimento de novas relações internacionais para promoção dos produtos locais. Artur Cascarejo lembrou precisamente que a aposta na internacionalização do certame deve começar com as relações institucionais, “porque é essa componente que nos vai abrir as portas”. “São essas relações institucionais que nos vão levar à economia real de cada um dos países”, frisou o autarca. Balanço positivo do certame e das relações internacionais estabelecidas foi feito também pelo vice-governador da província de Saurimo ( Lunda Sula, Angola). Foi uma festa muito bonita que caracterizou a simpatia do povo que nos acolheu. Para nós foi uma grande experiência, uma vez que também realizamos eventos semelhantes”, afirmou Domingos Kajama. Para este responsável, o certame foi também uma boa oportunidade para aprofundar o relacionamento das duas regiões ao nível dos contactos profissionais. “Saurimo e Alijó podem cooperar de diversas formas: aprofundar laços seculares, reforçar o intercâmbio cultural e os contactos numa perspectiva económica, etc”, afirmou o vice-governador de Saruimo. Cortejo etnográfico animou a vila No último dia da Revidouro, centenas de pessoas juntaram-se em Alijó para receberem o cortejo etnográfico que desfilou pelas ruas da vila. A iniciativa, que este ano contou com grande participação das freguesias do concelho, foi, aliás, um dos pontos altos de todo o certame. A animação foi uma constante, não só por parte dos populares que deram vida à iniciativa, como por parte da assistência, que não arredou pé até ao final do cortejo.

Adicionada: 21 de Julho 2009

Projetos cofinanciados pela EU


* Boletim Municipal Digital

Fique a par de todas as nossas novidades em primeiro lugar. Subscreva já o nosso Boletim Municipal Digital.

 

RPGN

A RPGN é um incentivo à empregabilidade dos jovens

PDR2020

PDR2020

SOS Vespa

SOS-VESPA

NetEmprego

NETEMPREGO

Comércio investe

Comércio investe
QREN